7 dicas sobre materiais utilizados em arquitetura sustentável

A arquitetura sustentável é muito importante para preservar o meio ambiente e protegê-lo de agressões que podem acarretar em diversos problemas.

Só que antes de entender o seu conceito, é preciso salientar que a sustentabilidade se apoia na prevenção ambiental, viabilidade econômica e valorização social.

Por isso, as construções sustentáveis têm como missão minimizar os impactos ao meio ambiente, ser viavelmente econômico e ajudar no desenvolvimento social.

Com isso, ela tem plenas condições de oferecer conforto e usabilidade aos seus projetos. Isso porque qualquer obra causa algum tipo de impacto ao meio ambiente desde que o ser humano começou a habitar a Terra.

No final dos anos 1980, a arquitetura sustentável ganhou destaque, e desde então vem sendo empregada em muitos países, inclusive no Brasil. 

Mas com o passar do tempo, esse tipo de construção precisou se adaptar às necessidades das pessoas.

Com o novo estilo de vida urbano, a arquitetura passou a se encaixar a essas novas realidades por meio de materiais ecológicos e novas técnicas construtivas. Isso, por sua vez, garante mais qualidade de vida para todos.

Neste artigo, vamos falar sobre o que é arquitetura sustentável, os materiais utilizados nesse processo e por que uma consciência sustentável é importante.

O que é arquitetura sustentável?

As ações humanas têm causado diversos impactos negativos ao meio ambiente. Por isso, a preocupação com essas questões se tornou muito frequente nos últimos anos.

Um desenvolvimento sustentável visa atender às necessidades das pessoas do presente, sem comprometer a qualidade de vida das próximas gerações.

Para isso, os recursos naturais passam a ser reconhecidos como algo finito por empresas de esquadrias de alumínio, por exemplo. Portanto, buscam conciliar essa consciência com o desenvolvimento social.

Dessa maneira, pode-se classificar a arquitetura sustentável como maneiras que visam minimizar o uso de recursos na construção e melhorar os processos de produção, reduzindo ao máximo os impactos ao meio ambiente.

Como resultado, há uma redução dos impactos à saúde humana, evitando a emissão de poluentes e o desperdício de componentes.

Para que um projeto seja considerado arquitetura sustentável, ele deve escolher adequadamente o local da obra e sua orientação.

Além disso, faz uso de materiais que não prejudicam o meio ambiente, desde itens básicos até instalação de uma portaria virtual.

Materiais usados em um projeto sustentável

O equilíbrio entre a construção civil e o meio ambiente é muito importante. Isso faz com que construtoras e empreiteiras invistam cada vez mais na criação e aquisição de materiais sustentáveis e inteligentes.

Dentre os mais utilizados nas obras de construção civil consciente estão:

1 – Bioconcreto

Este material foi criado por pesquisadores em uma universidade holandesa. Trata-se de um material capaz de regenerar suas rachaduras com a presença de bactérias.

Conhecida como bacillus pseudofirmus, ela produz calcário e permanece dormente por 200 anos. Ao ser incorporada à mistura de concreto, produz carbonato de cálcio que sela as fissuras existentes.

Isso acontece quando as bactérias são “despertadas” pela presença de água e oxigênio, muito comuns em inícios de rachaduras.

Apesar de ainda não estar disponível no mercado, o material vai evitar gastos com mão de obra e uso de novos materiais.

É um material que poderá ser aplicado na construção de paredes e estruturas de diversos tipos de construção, pois seu intuito é diminuir o uso de substâncias nocivas ao meio ambiente.

2 – Vidro inteligente

A tecnologia chegou à fabricação dos vidros e está trazendo para o mercado um material que, apenas com um botão, pode ter sua transparência controlada.

Mais do que garantir privacidade, esse tipo de vidro também permite controlar a incidência do sol dentro dos ambientes.

Ele poderá ser usado em vidros de portas, janelas, box para banheiro ou qualquer outra necessidade. Sua principal missão é a economia nos gastos com ventilação, iluminação e ar-condicionado.

3 – Bambu

Apesar de ser um velho conhecido, o bambu é um material ecologicamente correto que vem sendo utilizado como matéria-prima na fabricação de portas e pisos. Além disso, ele também pode substituir o concreto armado.

Combina com qualquer item decorativo, como veneziana industrial, além de possuir outras qualidades, como:

  • Resistência;
  • Alta durabilidade;
  • Baixo investimento;
  • Bom custo-benefício.

Por conta de suas qualidades, diversos testes apontam que novos tipos de bambus são mais resistentes do que o aço. Por isso, no futuro, ele também poderá ser usado como armação de matrizes como solo e cimento.

4 – Tinta ecológica

Para a fabricação desse tipo de tinta são utilizadas matérias-primas 100% naturais, como no caso de corantes e óleos. Elas são usadas porque não há o acréscimo de derivados do petróleo ou componentes sintéticos.

Também é possível encontrar no mercado as tintas que são livres de compostos orgânicos voláteis, também conhecidos como COVs. 

Eles são extremamente agressivos para a saúde e danificam a camada de ozônio.

5 – Replast

Trata-se de um tijolo criado nos Estados Unidos, produzido a partir da compressão de restos de plástico em blocos modulares.

Eles são moldados em formas e encaixes diferentes, por isso, não necessitam de cola, argamassa ou qualquer material para fixar os tijolos.

Seu processo de fabricação não emite CO², não é tóxico, os resíduos são retirados do oceano, além de com ele ser possível fazer a colocação de gesso 3d e outros materiais de revestimento.

6 – Contêineres

As moradias em estilo contêiner têm ganhado espaço no mercado e cada vez mais pessoas optam por esse tipo de “construção”. 

Trata-se de uma técnica fixa de construção onde podem ser reutilizados aqueles materiais usados em transportes de algumas mercadorias.

Os contêineres podem ser aplicados tanto para moradias, quanto para uso profissional, e economizam mais do que uma construção comum que envolva materiais como piso industrial.

No Brasil, por exemplo, existem condomínios construídos exclusivamente com contêineres. Além disso, sua utilização quase não gera resíduos, como em uma construção comum.

7 – Lâmpadas de led

No Brasil, o uso de lâmpadas incandescentes foi proibido, fazendo das leds as mais utilizadas. Elas podem ser usadas em qualquer ambiente, de qualquer tipo de projeto.

Possuem uma eficiência energética superior às lâmpadas comuns e, mesmo assim, podem economizar até 80% de energia. Além disso, essas lâmpadas não esquentam o ambiente e podem durar até 15 anos.  

Importância da consciência sustentável

Além de usar os materiais citados em seus projetos, as empresas precisam ter mais consciência sustentável. 

Para além de trazer benefícios ao meio ambiente, essa ação melhora consideravelmente a imagem das organizações.

Tais ações impactam até mesmo o brand awareness das organizações. Uma empresa de automação residencial, por exemplo, usa essa métrica para o quanto e como ela é reconhecida pelo público-alvo.

O mesmo acontece com as construtoras e empreiteiras. Hoje em dia, com a internet, cada vez mais presente na vida dos cidadãos, eles estão mais conscientes sobre o papel das organizações na proteção do meio ambiente.

Para o consumidor moderno, não importa apenas se o produto, bem ou serviço tem qualidade. A marca precisa mostrar que está consciente quanto aos cuidados que ela precisa ter com o meio ambiente.

Uma fabricante de reservatório de concreto armado, que trabalhe unindo sustentabilidade, viabilidade econômica e desenvolvimento social, atrai a atenção dos consumidores de maneira positiva.

Mas o contrário também tem seus efeitos perante a sociedade. Recentemente, pudemos observar algumas catástrofes ambientais provocadas pelo descaso de muitas empresas.

Estas, além de financeiramente arcarem com o prejuízo de suas ações, passaram a ser mal vistas pelas pessoas de um modo geral. 

Ou seja, tanto seu público-alvo como pessoas que não pertencem a esse grupo, adquiriram uma péssima imagem dessas empresas.

O meio ambiente fornece aos seres humanos tudo o que é preciso para garantir uma boa sobrevivência, mas é importante que esses recursos sejam usados com consciência, principalmente aqueles que não são renováveis.

A remediação ambiental nem sempre é possível, por isso, é importante que construtoras ou qualquer outro tipo de organização pense primeiramente na prevenção e na preservação do meio ambiente.

Conclusão

A sustentabilidade é importante e deve ser levada a sério na construção civil. Isso porque, com o crescimento acelerado nas grandes cidades, é natural que cada vez mais pessoas precisem de imóveis.

Por isso, a tendência é que áreas como a arquitetura e a engenharia reinventem seu comportamento, e usem estratégias sustentáveis que permitam a construção de espaços, dentro de medidas eficazes de preservação ambiental.

Dessa forma, garantimos que as próximas gerações tenham acesso aos mesmos recursos e que possam viver com qualidade.

O meio ambiente deve ser protegido para que os próprios seres humanos possam sobreviver por muitas gerações, mantendo o foco na sustentabilidade e em maneiras de preservar as riquezas naturais.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.